segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Pedra dura,


gelada sob meus pés
Nessa manhã fria
Descalça
De vestido de ontem e casaco de lã
Entre um pulo e outro me pego pensando quando não foi assim
Quando foi que eu acordava de pijama, de cara lavada e de café na mesa
Mais do que algum tempo atrás, acredito eu
Mesmo assim não hesito
Melhor agora do que era
Cabelo desarrumado, de roupa por trocar
O acordar agora, tem outro despertar
O de mãe
O de cuidar de outro
Que seja assim por muito tempo
O tempo que tiver de ser
Porque quando passa
E passa
Só restarão saudades desse atarefado amanhecer

2 comentários:

Suzana disse...

Que lindo! Muito bom ler isso numa segunda feira a noite, super cansada e longe de meu filho. Como eu sempre digo, aquece o coração...

Adri disse...

Cris que texto lindo!!!! Demais!!!!
bjsssssss!!!